Bandeira de Mello se justifica sobre fala da tragédia do Ninho do Urubu



Durante essa semana, Bandeira de Mello afirmou em uma entrevista ao jornalista Jorge Nicola, da ESPN, que o incêndio do Ninho do Urubu não teria ocorrido se ainda fosse o presidente do Flamengo. O acidente provocou a fatalidade de dez garotos da base do clube carioca. Em entrevista ao Fox Sports Rádio hoje (23), o ex-presidente aproveitou a chance para se justificar.
A afirmação de Eduardo Bandeira não repercutiu de forma positiva. Justificando, disse no programa que sua fala se deu ao fato de que, quando presidente do clube, as categorias de base utilizavam o antigo Centro de Treinamento dos profissionais, e não o local onde os meninos estavam hospedados.
“Quando eu falei que se eu fosse presidente do Flamengo não teria havido o incêndio, eu estava me referindo ao fato de que os jogadores da base do Flamengo já estavam ocupando o Centro de Treinamento novo antes de eu sair da presidência”, explicou Eduardo Bandeira de Mello.
O ex-mandatário também abriu a boca sobre a acusação de homicídio, em junho de 2019:
“Eu sou o único dirigente que está sendo acusado de ser um homicida, e isso é extremamente desagradável. […] A partir do momento que foi noticiado, em junho do ano passado, que eu fui o único dirigente amador indiciado por homicídio doloso, a minha vida passou a ser um inferno, porque me chamam de assassino nas mídias sociais”. Concluiu.

Postar um comentário

0 Comentários