Gaviões da Fiel e torcida organizada do Palmeiras fazem manifestação antifascista na Avenida Paulista



Na tarde deste domingo (31), um grupo de torcidas organizadas dos quatro grandes do estado de São Paulo se reuniu para realizar um ato pró-democracia. Na maioria do tempo, o protesto ocorreu no vão do Museu de Arte de São Paulo (MASP), por volta das 13h.

Com faixas estendidas escrito “Somos pela democracia” e gritos contra o presidente Jair Bolsonaro (sem partido), corintianos e palmeirenses que se autodenominam “Palestra Antifascista”, se uniram na manifestação pedindo o fim do fascismo, que por fim, acabou em combate policial.

“Doutor, eu não me engano... O Bolsonaro é miliciano”, gritava a torcida do Corinthians.

Em menor quantidade, torcedores de Santos e São Paulo também protestavam via Consolação. A maioria utilizava máscaras de proteção à Covid-19.

Tempo depois do início do movimento, a Polícia Militar (PM) usou bombas de efeito moral e sprays de pimenta para recuar as pessoas que ali estavam, separando uma confusão entre dois manifestantes ao lado da estação Trianon Masp, local onde permaneciam grupos bolsonaristas. Segundo o Coronel da PM, o conflito começou por causa de uma bandeira neonazista ucraniana, que estava na parte em defesa do governo. Um fotógrafo da agência EFE ficou ferido.

Vale ressaltar que as duas manifestações - em prol e contra Bolsonaro - não respeitam as normas de saúde em meio à pandemia de coronavírus, por conta das aglomerações.


Confira os vídeos:








 

Postar um comentário

0 Comentários