Estrela de Éderson brilha de novo, Corinthians vence o Mirassol e está na final do Paulistão



O Corinthians bateu o Mirassol neste domingo (02) por 1 a 0, na Arena Corinthians, e se classificou para a final do Paulistão pela quarta vez consecutiva. A estrela de Éderson brilhou novamente, o volante de 21 anos marcou três gols em três jogos seguidos e deu a vitória ao Timão.

Foi uma partida em que os dois times conseguiram propor suas estratégias. O Mirassol era mais pragmático, esperava seu adversário se expor para tentar um contragolpe – assim como foi contra o São Paulo, pelas quartas de final. E o Coringão tinha como prioridade a posse de bola, envolvendo a marcação com triangulações e viradas de jogo rápidas.

Entretanto, o Corinthians conseguiu efetivar seu planejamento dentro das quatro linhas. O verde-e-amarelo até tentou algumas saídas rápidas ou com bolas paradas, mas pouco fez durante os 90 minutos.

Aos 13' da primeira etapa, Juninho, camisa 10 do Mirassol, fez o Cássio trabalhar em uma batida de falta pelo lado esquerdo. A bola foi perfeita, no ângulo, mas tinha um paredão corinthiano debaixo das traves.

Pela inferioridade dos elencos, este era o estilo de jogo dos visitantes, esperar o melhor momento para encontrar o adversário fragilizado na zaga. O Corinthians avançava sua linha de defesa com ou sem a bola, espremendo ainda mais o time do interior na parte defensiva do campo.

O Alvinegro tinha um só objetivo na tarde do domingo: quebrar a retranca do Leão. Estava impossível ter uma infiltração, um passe vertical ou uma jogada aguda, que o Tiago Nunes tanto adora.

Com 25 no relógio, numa chegada de linha de fundo do Carlos Augusto, o lateral-esquerdo do Timão cruzou rasteiro para a área, Mateus Vital chutou pressionado pela marcação e acertou a trave do goleiro Kewin.

Assim, o professor Tiago compreendeu que o ponto fraco do Mirassol é a chegada pelas pontas. Fagner e Éderson começaram disparar para o ataque, em chegadas profundas pelas laterais, fazendo o "facão" para dentro da área ou cruzando na primeira trave.

Dessa forma, Jô teve uma oportunidade de ouro de abrir o placar em Itaquera. Ramiro deu uma bela enfiada de bola para o Éderson na linha de fundo, o volante achou o Jô na pequena área e o centroavante tentou de letra, mas furou.


Após o intervalo, Ricardo Catalá, técnico do Leão, estava disposto a levar a decisão para as penalidades, um jogo defensivo impecável do Mirassol, a preocupação estava nos chutes de longa distância e nas bolas paradas.

O Luan teve uma ótima chance depois de pegar uma bola rebatida dentro da área, mas Kewin fez boa defesa. O real perigo do Time do Povo estava em jogadas desse tipo, tinha a posse de bola, as triangulações, os passes verticais, mas furar a retranca adversária foi uma missão impossível ao longo da tarde.

Aos 12' do segundo tempo, Carlos Augusto protagonizou uma dividida com Juninho, que viria desencadear em expulsão do meio-campista verde-e-amarelo. O camisa 10 foi totalmente imprudente no lance, com a sola amostra no tornozelo do lateral-esquerdo alvinegro.

Vinicius Gonçalves, árbitro da partida, checou na telinha do VAR e apresentou o vermelho direto ao jogador do Mirassol. Carlos, por sua vez, teve de ser substituído por Sidcley, saiu sentindo o tornozelo direito.

A partir disso, se o Corinthians já mandava na partida, começou a tomar conta de todos os espaços. Danilo Avelar e Gil viraram praticamente segundo volantes, Fagner e Sidcley se transformaram em alas, celebrando a década de 80.

Porém, o gol da vitória surgiu de uma estrela brilhante. Éderson meteu um chutaço quase do meio de campo, um "pombo sem asa" certeiro no canto direito do goleiro. Outro golaço de fora da área do meio-campista corinthiano, e o terceiro gol em quatro jogos com a camisa do Corinthians.

Com a vitória pelo placar simples, o Timão despacha o Mirassol na semifinal e vai à final pela quarta vez consecutiva, buscando o tetracampeonato. O primeiro jogo da decisão que dá o título de campeão estadual será na quarta-feira (07), e o segundo no próximo sábado (08).

Postar um comentário

0 Comentários