Palmeiras bate a Ponte Preta por 1 a 0 e vai à final do Campeonato Paulista




Neste domingo (02), o Palmeiras recebeu a Ponte Preta no Allianz Parque, venceu por 1 a 0 e garantiu sua vaga à final do Campeonato Paulista. Agora, o Palestra faz a decisão contra seu arquirrival Corinthians, na próxima quarta-feira (05) e no próximo sábado (08).

A escalação do Verdão para enfrentar a Macaca nos deu a certeza de uma coisa: Vanderlei Luxemburgo está depositando sua confiança na molecada das categorias de base. Gabriel Menino e Patrick de Paula foram escalados no meio-campo palestrino, os medalhões como Lucas Lima e Bruno Henrique ficaram no banco de reservas.

Com a entrada dos dois garotos, o Palmeiras ganhou mais posse de bola, consistência e chegadas verticais do Menino. Patrick fez uma partida espetacular, impecável na recomposição, passes esticados para o Luiz Adriano e Rony, dando velocidade ao ataque.

O Alviverde foi melhor durante o jogo todo. A Ponte Preta tem uma filosofia interessante, que também prioriza o toque de bola e faz com que o goleiro vire um “líbero”. Mas, por conta do plantel de jogadores, o Palmeiras foi mais efetivo, conseguiu concretizar seu plano de jogo.

Ivan, goleiro do time alvinegro, trabalhou bastante. Aos 5 minutos da primeira etapa, o guarda-redes pontepretano defendeu uma boa cabeçada à queima-roupa de Rony. 3 minutos depois, o atacante do Palmeiras parou de novo nas luvas do goleirão após chute cruzado.

Gustavo Gomez, de contrato renovado com o Verdão, parou no travessão em seguida de um escanteio. Cabeçada forte, de encontro com a bola, mas o paraguaio teve azar.

Willian Bigode também teve a chance de abrir o placar. O camisa 29 bateu colocado no contrapé de Ivan, porém, o goleiro conseguiu se recuperar no lance e espalmou para a linha de fundo.

O primeiro tempo estava prestes a terminar zero a zero. Mas, quem não arrisca não petisca, e o Palmeiras arriscou. Patrick de Paula, joia encontrada na Taça das Favelas, experimentou chutar da meia-lua, o volante de 20 anos contou com um desvio no meio do caminho e abriu o placar para o Porco nos acréscimos da primeira etapa.


Após o intervalo, o Luxemburgo adotou um estilo de jogo mais pragmático, cauteloso e competitivo acima de tudo. A proposta do Verdão era trabalhar o campo inteiro, abusando da criatividade do de Paula junto com a aproximação de Luiz Adriano.

Entretanto, se antes a prioridade estava nas bolas alçadas e velocidade, o Alviverde tentava envolver mais seu adversário. A Ponte Preta pouco fez durante a partida, tentou criar alguns lances, mas faltou o João Brigatti, técnico da Ponte, entender a limitação do seu elenco e elaborar jogadas que exigissem menos qualidade.

Por isso, a partida terminou assim. O segundo tempo foi muito morno, o Palmeiras tinha o resultado a favor e a Macaca foi péssima na troca de passes, consequentemente não causou perigo algum.

1 a 0 para o Palestra, que, agora, vai à final do Paulistão numa revanche contra o Corinthians. O Verdão espera dar o troco pela final do estadual de 2018, quando o Timão levantou o caneco em plena Arena Palmeiras.     

O primeiro jogo da decisão será na Arena Corinthians, em Itaquera, na próxima quarta-feira (05). A segunda partida terá mando de campo palestrino, no Allianz Parque, no próximo sábado (08).

Postar um comentário

0 Comentários